Esta é, sem dúvida, uma Notícia Extraordinária… Sempre foi esta a Esperança de uma Minoria Profética na História de Deus Connosco, sempre foi esse o anúncio do Resto Fiel do Povo de Deus, mas poucos levaram isto a sério. Várias vezes tem sido dada esta Notícia, e poucos são ainda os que perceberam que vai para além das metáforas… A maior parte das vezes parece que andamos na contra-mão do Deus Criador de todas as coisas Boas, Libertador dos Escravos e Pai de Jesus… porque Deus sempre Se revela a nós pela construção de um caminho feito de Humanidade e os seres humanos acham que o caminho para Deus passa pelo endeusamento de muitas coisas! Deus, claramente, é muito menos “divino” do que nós estamos habituados a pintá-lo… se nos fixamos no tal Jesus que muitos dizem ser Seu Filho, estala o verniz dessas pinturas… face-a-face com o Galileu que deu Carne e Corpo a todas estas coisas, ouve-se dizer por aí: “Quem estaria à espera que Deus fosse mais Humano que nós?!” E assim é…

O Deus que veio Reinar entre nós não nos trata como um rei aos seus súbditos… ainda que seja dos bons. O Deus que veio Reinar entre nós trata-nos como um Pai aos seus filhos… ainda que sejam dos maus.

Conta quem ouviu que, uma vez, Jesus de Nazaré disse qualquer coisa como “Quem me vê, vê o Pai”, e dos que o conheciam de maneira mais genuína, nenhum se admirou grandemente… Diziam, uns anos depois destas coisas: “Se o nosso Deus fosse um Homem, seria assim como ele! Se Deus fosse desta massa que somos, Deus seria assim!”

Chegaram alguns deles, poucas décadas depois, a serem acusados de “Ateus” pelos senhores do Império de turno. A verdade é que tinham desacreditado de todas as divindades, sim, não baixavam as esperanças à altura de nenhum dos deuses dos Homens, porque adoravam aquele Homem de Deus que era Jesus, de quem afirmavam que tinha sido Confirmado pelo Céu, Levantado da Morte e Vivo Vivente no meio deles! A verdade é que não acreditavam em nenhuma divindade cuja maneira de agir não tivesse o estilo das escolhas de Jesus.

Ao contrário do que foi tantas vezes dito depois, Jesus não é Divino “apesar de” ser Humano, nem é Divino “e também” Humano… Jesus é Deus no Seu ser Homem! A Divindade de Deus realiza-se na sua plena Humanidade. Jesus é Divino, um com Deus, não “apesar de” ser Humano, mas “por ser” tão Humano!

Alguns dos que se cruzavam com ele na Palestina de há 2000 anos é que têm muitas histórias para contar… Não lhes passava pela cabeça que fosse uma “pessoa divina” que andasse por ali disfarçada de Galileu nem um deus vestido com carne de gente… mas bem experimentavam que o encontro profundo com Jesus era uma experiência de face-a-face com a Santidade Libertadora de Deus, o Redentor dos oprimidos e Pai dos últimos. Há relatos que nos testemunham que o recebiam como um grande Profeta, Homem conduzido pelo Espírito de Deus, e diziam coisas assim: “Um grande Profeta passou entre nós; Deus veio visitar o Seu Povo!” A Fé não nasceu endeusando Jesus, mas reconhecendo que Deus estava presente e activo na sua espantosa Humanidade e Profecia.

“Filho do Homem”, chamava-se ele a si mesmo, ligando-se à linguagem dos Mestres Profetas de Israel que com toda a lucidez do Espírito e da Esperança tinham discernido no seio da Glória e Poder de Deus um esboço humano, uma figura de Filho de Homem… “Se Deus é Deus e nos quer livres, Deus não se comporta como os que nos querem escravos! Eles é que usam violência e brutalidade, a sua glória é o domínio sobre os outros e o seu poder é uma arma mortífera… Se Deus é Deus e nos quer livres, Deus tem de comportar-se de outra maneira, humana, amorosa… a Sua Glória tem que coincidir com a nossa Liberdade e o Seu Poder tem que dar-nos a Vida!”

Os Profetas, intuindo um esboço humano no seio de Deus, perceberam o que só o Espírito pode explicar: se a Divindade é o jeito de Deus SER, a Humanidade é o jeito de Deus AGIR. Jesus de Nazaré é a Carne Viva desta Revelação.

“Começou o Reinado de Deus!”, dizia ele… e mostrava-o, com uma força que mil palavras não teriam! Mostrava o começo libertador deste Reinado pela dádiva humaníssima do Perdão dos pecados e pelo confronto aberto com o que é simultaneamente contrário ao Humano e ao Divino: o desumano, a inumanidade do Pecado e as forças de Anti-Reino que ele gera.

A Notícia é simples e extraordinária: Deus aconteceu no meio de nós através da Vida Humaníssima de Jesus! E nem a Morte podia quebrar isso… essa vontade dos dois. O Pai Re-Suscitou o Seu Filho para a Missão que lhe tinha confiado desde o princípio e Hoje, aqui e agora, Deus continua a tratar-nos com uma surpreendente Humanidade, aquela Humanidade Humaníssima de Jesus…

Quem diria! Deus trata-nos com uma profunda Humanidade, com o jeito de Jesus… Ninguém estaria à espera que Deus fosse mais Humano que nós, mas é! Infinitamente mais… E é essa maneira tão Humana de nos conhecer e sonhar connosco que nos salva…

 

clicar aqui para escutar o áudio deste Tema


Anexos